Cadastro

Horários dos Cultos

  • Seg a Sex: Oração - 7 a 8hs
  • Segunda: Núcleos Familiares
  • Quarta: Quarta da Benção - 20hs
  • Quinta: Desperta Débora - 15hs
  • Sexta: Seminário - 19h30m
  • Sábado: União Jovem - 19h
  • Domingo: EBD - 8h30m

Culto da Família - 18h 

 

Batista Ebenézer

Inicial Mensagens Sermões PERDIDO DENTRO DA IGREJA.
PERDIDO DENTRO DA IGREJA. PDF Imprimir E-mail
Escrito por RL   
Sáb, 16 de Junho de 2012 14:24


QUEBRA GELO: Será que existe a possibilidade de alguém fazer parte de uma Igreja, obedecer a suas leis, cumprir com seus deveres, não se enveredar com o pecado e ainda assim poder estar perdido?

 

INTRODUÇÃO.

 

Este é o questionamento de muitos! Não estou perdido porque estou de acordo com a Palavra de Deus! Será!

 

"Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e, então, partiu. O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco" (Mateus 25: 14-16).

 

"Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste,  receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu. Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez.  Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.  E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes" (Mateus 25: 24-30).

 

Não podemos nos deixar enganar. Note que este que foi denominado servo inútil foi escolhido por Deus para uma missão: MULTIPLICAR! Da mesma forma, Jesus nos escolher e nos designou:

 

"Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda" (João 15: 16).

 

O nosso trabalho na obra de Deus é se envolver. Passou o tempo e este “servo” levou a sua vida como se alguém nunca fosse cobrá-lo. Mas um dia o seu Senhor voltou e lhe exigiu as contas. Seus argumentos não foram validos e por isso se perdeu.

 

Vamos ler outro exemplo em Lucas 15: 25-32:

 

"Ora, o filho mais velho  estivera no campo; e, quando voltava, ao aproximar-se da casa, ouviu a música e as danças. Chamou um dos criados e perguntou-lhe que era aquilo. E ele informou: Veio teu irmão, e teu pai mandou matar o novilho cevado, porque o recuperou com saúde. Ele se indignou e não queria entrar; saindo, porém, o pai, procurava conciliá-lo. Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado. Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu. Entretanto, era preciso que nos regozijássemos e nos alegrássemos, porque esse teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado".

 

Este exemplo mostra o filho fazendo parte da casa do pai, obedecia suas regras, cumpria com os deveres, não se envolvia com o pecado, e ainda assim estava perdido. Este exemplo nos leva as seguintes conclusões:

 

  1. VIVE DENTRO DA IGREJA, MAS NÃO É LIVRE. “Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos” (Versículo 29).

 

O comportamento deste filho mais velho nos leva a concluir que ele não vivia como filho, mas como escravo. Fazia as coisas certas com a motivação errada. Sua obediência não provinha do amor que ele tinha para com o pai, mas da obrigação.

 

Ele nunca entendeu o que é ser filho. Por mais que o pai o tivesse como filho, ele, porem não correspondia com o amor do pai como um filho, e sim por mera obrigação e interesse.

 

Muitos, também, estão na igreja por uma mera obrigação. Obedecem, mas não têm alegria. Estão na casa do Pai, mas vivem como escravos.

 

O Pai o quer como filhos, mas o seu comportamento é somente de empregado requerendo os seus direitos.

 

  • O MEMBRO. As maiorias vivem de maneira comportada, saúda o seu próximo, e quando saúda, procura um local para assistir o culto, e ali ele fica. Às vezes dá um gloria e até bate algumas palmas, mas não se envolve em nada.

  • O FILHO. Ele também se comporta bem, não somente saúda o seu próximo, mas se envolve com ele. Procura um local para assistir o culto porque sabe que terá um envolvimento com o PAI. Bate palmas, se alegra e vidra por estar glorificando a Deus, e quando há atividades na Igreja, ele diz: Pode contar comigo.

 

  1. VIVE DENTRO DA IGREJA, MAS ESTÁ COM O CORAÇÃO CHEIO DE AMARGURA. "Ele se indignou e não queria entrar; saindo, porém, o pai, procurava conciliá-lo. Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado" (Versículos 28 ao 30).

 

A reação do filho mais velho é visível, ao invés e correr a abraçar o irmão que havia se perdido, prefere se irritar com ele e principalmente com o Pai. Para ele quem erra tem que ser tratado é no chicote e na disciplina dura. Muitos acham que para o prodigo não há mais restauração e nem deve ser objeto de perdão.

 

Pessoas que pensam e agem desta forma tem agenda para pedir perdão.

 

A Palavra de Deus diz que quem não ama a seu irmão ainda permanece nas trevas. "Aquele, porém, que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos" (I João 2: 11). Muitos estão dentro da Igreja e estão bronqueados com alguém.

 

Todas as vezes que falamos mal da Igreja, do Pastor, dos irmãos, pecamos. Em alguns casos até dizem: Eu não odeio, Deus conhece o meu coração, nem mágoa eu tenho dele, mas não quero estar onde ele esteja.

 

O irmão mais velho se recusou a entrar na casa para celebrar a volta do irmão arrependido, antes escolheu magoar-se, se revoltar, achando que estava sendo injustiçado. Este sentimento é maligno e leva o homem para o inferno.

 

  1. VIVE DENTRO DA IGREJA, NA PRESENÇA DO PAI, MAS ANDA COMO SOLITÁRIO, NÃO SE SENTE DONO. "Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu" (Versículo 31).

 

Estes são aqueles que já trazem no coração marcas profundas. A CASA DO PAI É LOCAL DE TRATAMENTO E APRENDIZADO. Quem se isola não permite ser tratado. VIVEM SEM ALEGRIA. Está na casa do Pai, mas não tem comunhão com ele e nem com os que habitam na casa do Pai.

 

Muitos também estão na igreja, mas não têm intimidade com Deus, não desfrutam da alegria da salvação, não experimentam as doces consolações do Espírito, vivem como órfãos, sozinhos, curtindo uma solidão dolorosa.

 

Aquele filho mais velho era rico, mas vivia na miséria. Tinha toda a riqueza do Pai à sua disposição, mas vivia como escravo. Era filho, mas não banqueteava com os seus amigos.

 

Assim, também, muitos vivem na igreja sem experimentar os banquetes do céu, servindo a Deus por obrigação, sem alegria no coração.

 

CONCLUSÃO.

 

O mesmo Pai que saiu para abraçar o filho pródigo arrependido, agora esta pronto para conciliar este filho revoltado. O arrependido, com o coração quebrantado, festejou a sua restauração; o outro ficou do lado de fora, perdido, com o coração endurecido.


 

Busca de Sermões

Busca de Sermões